Formato hibrido


28/03/2010


amoreiras, Ilha e Yemanjá_marcelo amm

 

Estou aqui para entender João Ubaldo Ribeiro.

Estou aqui para ver o vidão do jeito que eu gosto que ele seja: ensolarado; gramado ornado com pétalas de flamboyants concluindo que o bom da vida é poder andar de pés ao chão; vento quente soprando na cara e ver o mar parecido a pedaços de vidros incertos, calmos e  perigosos  traiçoeiros.

 "daqui que a maré encha prá nois pegá peixe. - essa maré morta!"

"- eu quero é ir prá casa tomar banho e vortá pá vê o presente.

 "sí eu for...hun, hun,  nem sei se vorto ainda hoje. - já armuçou?"

 

Estou aqui para entender o deslocamento do continente á Ilha e que charme isso tenha, que grandeza intima isso possa ter para ilhéus e quase com o corpo molhado e  o mar se faça mel

 

" Janaina, minha tia hoje é o meu aniversário de 45 anos, não sei se daqui a 5 anos eu estou viva, então vou celebrar hoje."

 

As mulheres estavam numa mesa grande  varanda de uma casa  "cantavam sambas-de-roda  todas vestidas de branco, brindavam a tudo; ao filho que estava na escola e a algo "ao meu marido que vai ganhar essa todinha quando chegar em casa" e as outras em côro:

-êêêêêê!

 

Estou aqui para entender João Ubaldo Ribeiro, o mangueiral, a estrada de asfalto estreito, as muitas casas com placas de "vende-se ou  "aluga-se para temporada"; entendo o porquê de as casas não precisarem de números para as missivas serem respondidas.

 

Entendo porque as pesssoas me olham desconfiadas e o porquê de uma mulher  bem velhinha que,decerto, seja descendente dos pigmeus ter respondido sorrindo ao meu bom dia. Entendo porque  as pessoas  nativas tenham dentes bons, corpos esguios e olhares ingênuos, maliciosos.

 

Entendo a rosa fecundando a maçã e a máxima da gravidade- uma amêndoa madura me acertando a cabeça. Entendo o som dos atabaques e ás treze horas da tarde os tecidos estampados sendo postos nos postes da praia.

 

Entendo estar escrevendo, comprar um sorvete  creme com passas, chocolate e coco e o menino me perguntar se sou a pessoa que está produzindo a festa.

-         Não!

-         O Sr parece artista ou jornalista.

-          

Entendo que a vida possa ser um estado permanente de um grande feriado, um mês de férias com largos dias e basta apenas que nós façamos estes dias.

 

Entendo Caramuru se apaixonar por Catarina Paraguaçu. Entendo o céu azul desbotado. Entendo que as Testemunhas de Jeová tenham como testemunha o mar fixo bem próximo á arrebentação. Entendo o homem que busca ao longe os corais para que não morra de fome.

 

Entendo o homem loiro de moletom preto e camisa verde presa á cabeça como um torço árabe ser russo, viver a vida vendendo coisas nas ruas da Ilha e falar comigo em castelhano ' só cerveza'!

 

Entendo o Cortejo saindo e as músicas cantadas em iorubá, o manifesto das pessoas e as meninas de sandálias bordadas em tecido cor de prata, maquiagem no rosto e sorriso branco -  safado.

 

Entendo que aqueles homens e mulheres de bundas, peitos e pernas bonitas   foram esculpidos pela água do mar. Entendo que aquelas mulheres têm respiração branquial, nas noites de lua- cheia entoam um canto de mar narcotizante  e que aqueles homens são anfíbios.

 

Marcadores:

 

Escrito em 03.03.2010 na Ilha de Amoreiras enquanto eu esperava a Festa de Yemanjá.

Serviços: Ferry Boat - Adriano Gordilho -  Salvador/Bom Despacho R$3,50 [55min]

Ferry Boat - Ivete Sangalo - Bom Despacho/Salvador - R$3,50 [40 min]

Agua Mineral - 2l e meio R$5,0

Coca Cola - lata - R$1,50

Onibus de acesso em Salvador R$ 4,60

Topic Bom Despacho x Amoreiras R$5,00

Beijú de coco e Tapioca R$1,00

Sorvete R$1,00

 

Fotos: Google

 


 

Escrito por marcelo amm às 14h45
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Perfil



Meu perfil
BRASIL, Nordeste, SALVADOR, Homem, de 26 a 35 anos, Portuguese, English, Cinema e vídeo, Arte e cultura, Beijar,rasgar papéis e não fazer nada

Histórico